Entrevista: Carlos Rodrigues, do Museu Nacional da UFRJ, fala sobre o minicurso sobre taxidermia dos répteis e anfíbios

Carlos RodriguesTécnicas de taxidermia desenvolvidas especificamente para répteis e anfíbios serão apresentadas no minicurso Taxidermia de Repteis e Anfíbios, que acontecerá no dia 22 de julho, durante o CBH 2013. Coordenado pelo professor Carlos Rodrigues de Moraes Neto, do Departamento de Vertebrados do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro, o minicurso abordará tópicos como história da taxidermia, protocolos clássicos de preservação, apontamentos sobre coleta de répteis, novas propostas para a preparação de répteis e anfíbios e noções sobre a manutenção de acervos. A seguir Carlos Rodrigues, em entrevista, fornece informações sobre o tema do minicurso. Ele salienta que para responder às questões abaixo contou com a colaboração de outros dois pesquisadores: Pedro Henrique Reis Cabral, graduando em Ciências Biológicas e auxiliar no minicurso, além de Françoise Nadir Poeys Albuquerque, bióloga e especialista em Educação Ambiental.

Blog CBH 2013 – Qual a importância dos estudos sobre taxidermia de répteis e anfíbios para a sociedade?

Carlos Rodrigues – Prioritariamente a taxidermia é utilizada na criação de coleções científicas e expositivas. O objetivo de seu estudo é estabelecer técnicas de preservação de vertebrados, sendo uma importante ferramenta para a cultura da sociedade, pois fornece ao público uma aproximação com o meio ambiente, por meio de sua fauna preservada em galerias de história natural, para que possam ser utilizados como ferramentas na educação ambiental ou como material didático, além de fomento científico.

Blog CBH 2013 – Quais são os grandes nomes das pesquisas sobre taxidermia de repteis e anfíbios?

Carlos Rodrigues – Muitos foram os autores que fizeram grandes contribuições às pesquisas relacionadas à taxidermia de repteis e anfíbios, contudo saliento a obra do autor Ken Edwards, intitulada The Breakthrough Reptile and Amphibian Taxidermy Manual, publicado em 1992, nos Estado Unidos. Esta obra é um grande compilado sobre técnicas inovadoras que remetem aos avanços técnicos contemporâneos específicos para a herpetologia.

Blog CBH 2013 – Quais os objetivos dos estudos sobre a taxidermia de repteis e anfíbios?

Carlos Rodrigues – Assim como os estudos sobre taxidermia dos demais vertebrados, os estudos no âmbito dos repteis e anfíbios, têm como objetivo desenvolver técnicas para subsidiar a pesquisa científica em instituições acadêmicas, além de promover reflexões sobre preparação de vertebrados para difusão.

Blog CBH 2013 – De forma geral, o que será tratado no minicurso Taxidermia de Repteis e Anfíbios do CBH 2013?

Carlos Rodrigues – O curso visa demonstrar técnicas de taxidermia desenvolvidas especificamente para répteis e anfíbios, destinados à pesquisa e/ou difusão com o aproveitamento máximo de exemplares coletados, proporcionando, assim, uma nova estratégia para a produção de material herpetológico. Este minicurso terá um módulo inicial teórico com temas relacionados à história da taxidermia, protocolos clássicos de preservação, breves apontamentos sobre coleta de répteis, novas propostas para a preparação de répteis e anfíbios e noções sobre a manutenção de acervo. Após o módulo teórico haverá um módulo prático com a preparação de material científico e expositivo em herpetologia.

Blog CBH 2013 – Qual é o público-alvo do minicurso?

Carlos Rodrigues – O curso é direcionado a alunos de graduação, pós-graduação e profissionais de biologia bem como leigos que tenham interesse em aprender técnicas de taxidermia utilizadas em répteis e anfíbios.

Blog CBH 2013 – Atualmente, quais são as maiores contribuições atribuídas às pesquisas na área de taxidermia de repteis e anfíbios?

Carlos Rodrigues – As maiores contribuições sobre técnicas de taxidermia de répteis e anfíbios estão contidas em artigos científicos clássicos, muitos publicados em revistas cientificas já extintas. Atualmente, o profissional interessado em técnicas de taxidermia em herpetologia deverá pesquisar o mosaico de informações já descritas e contrastá-las com reflexões contemporâneas publicadas em bibliografias atuais, muitas atribuídas a museus de história natural.

Blog CBH 2013 – Demais considerações.

Carlos Rodrigues – De fato, as pesquisas técnicas de taxidermia, possibilitam inovar os meios para a preparação do objeto de estudo, permitindo ao pesquisador galgar em abstrações científicas através de um novo prisma de avaliação.

 

Fonte: Agência Ciência e Cultura da UFBA

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s